Passeio de trem no Paraná

Fui muito a Curitiba durante algum tempo, por conta do trabalho.

Foi assim que fiquei sabendo sobre o passeio de trem entre Curitiba e Morretes.
Fiz o passeio no ano passado, e desde então estou para fazer um post a respeito.
O passeio pode ser feito tanto em um trem comum quanto de litorina, que é uma versão de luxo.

Nessa versão do passeio de luxo uma van te apanha no hotel, às oito da manhã, para te levar à estação.
A estação conta com o escritório da administração da empresa proprietária dos trens, uma miniatura de uma ferrovia, uma lojinha com souvenirs do passeio e de Curitiba, banca de revista, banheiros.

O Presidente da empresa, Sr. Adonai, estava na estação, recebendo os clientes.
Ele é quem nos conta que há vinte e três trens de luxo no mundo, e dentre os três melhores está a litorina onde iríamos fazer o passeio.
Quando a porta para o acesso aos trens se abre, há um tapete vermelho para lhe dar as boas vindas e entrar na litorina. Os assentos são marcados. Há um lugar individual, há para duplas, trios e quartetos. 
Você é recebido com uma taça de espumante, e a bebida liberada durante todo o trajeto está incluída no valor pago. Sucos, refrigerantes, água, espumante, cerveja…

O interior do trem é decorado luxuosamente e com bom gosto, com bonitas telas, poltronas, sofás, mesinhas e luminárias. Música de qualidade tocando ao fundo. Me senti no vagão de luxo do trem de Downton Abbey.





Quando o passeio começa é servido o café da manhã. Croissant com presunto e queijo, suco, tortinha de limão.


A equipe de bordo é composta de um maquinista, um segurança e duas comissárias; elas têm formação superior e são as guias de turismo nas nossas paradas posteriores.


O trem vai passando pelos subúrbios de Curitiba até atingir uma paisagem mais rural e depois segue pelo meio da mata. Às vezes se passa por algumas quedas d’águas. E é feita uma pausa em um mirante. Todas as pessoas pelas quais passamos abanam para os viajantes.



Diz que o trajeto leva umas três horas, mas como ocorreram alguns problemas na linha férrea no dia em que fui, levou muito mais.
O destino final é Morretes, onde se come o barreado, comida típica paranaense, no restaurante da própria empresa proprietária dos trens. Também incluído no preço do passeio.
O barreado é o resultado final do cozimento lento e constante de carnes de segunda em panela de barro durante longo tempo, e depois misturadas à farinha de mandioca. Esse cozido é servido com arroz e banana.
Após, é tempo de dar uma olhada na cidadezinha, no artesanato e no comércio local. Cidade típica de interior, muito gostosa essa parte do passeio.
O retorno é feito de van. No caminho também se para em Antonina, outra cidadezinha típica de interior, pequena e agradável.
A van me deixou de volta no hotel às 18 horas. Porém, como disse, meu passeio levou mais tempo do que o normal.
Foi muito bacana e aprazível. Conjuga passeio de trem – de luxo -, o conforto de ser apanhado e levado de volta ao hotel, a experiência de comer uma comida típica do Paraná e conhecer um pouco mais de suas cidades do interior.
Quem faz esse passeio e a Serra Verde Express, Instagram @serraverdeexpress. Acertei tudo por e-mail, o qual retirei do site da empresa.
Paguei um pouco mais de R$ 300,00; um preço bem justo para tudo o que está incluído. É um passeio bem diferenciado, e a educação do pessoal da empresa faz toda a diferença.
Acabei de ver no site que está R$ 366,00. Maiores informações no http://www.serraverdeexpress.com.br .
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s