Go Read

Minhas primeiras leituras foram de gibis. E desde que me entendo por gente leio revistas. Veja, Superinteressante, NatGeo, Manequim, Claudia, Caras… Gosto de ler. Ponto.

Com o advento das revistas em formato digital, assinei o Iba Clube, que me dava direito a ler quatro revistas.

Qual não foi a minha surpresa ao descobrir que o Iba se tornou o Go Read.

Por R$ 22,90 se tem mais de 100 títulos diferentes pra ler. Todas as que já mencionei, gibis, Boa Forma, Cosmopolitan, de fotografia, de cachorro, de gato, de decoração, Exame, Você S/A, de viagens, de história, de culinária… Gente, me senti o Tio Patinhas mergulhando no dinheiro da caixa forte!!!!!

Quem quiser conferir, basta acessar esse link.

Mudanças de vida que valem a pena

Já há um tempo quero escrever sobre as mudanças que tenho feito em minha vida, porque esse relato pode ser de alguma forma útil para alguém que esteja passando pelos mesmos problemas de saúde pelos quais passei e que ainda luto para manter sob controle.

Desde adolescente tive disfunções de tireoide. Primeiro hipertiroidismo, que depois de tratado virou hipotireoidismo. Então há mais de vinte anos faço suplementação do que a minha tireoide não produz.

Desde adolescente também luto com o meu peso. Sempre gostei de doces, e meu metabolismo tende a ser bem lento, justamente por conta do hipotireoidismo.

Em 2014 o meu quadro ficou pior. Passei a me sentir realmente exausta. O endocrinologista no qual eu ia na época me disse que eu me assemelhava a um carro que estivesse ficando sem combustível, porque meu metabolismo era muito lento; e que eu devia ter síndrome metabólica, pelas alterações que os meus exames estavam apresentando. E que seria praticamente impossível mudar esse quadro.

Lá pelas tantas, no ano passado decidi me consultar com uma nutróloga, pra ouvir uma segunda opinião. Sempre fui anêmica crônica, não fixo o ferro. Achei importante ouvir alguém da área da Nutrologia sobre isso.

E foi com a nutróloga que descobri que não fixo várias vitaminas, além do ferro. Passei a tomar vitamina B12, C, B1 e B5, e o ferro. E a acertar a dosagem dos hormônios da tireoide.

A essa altura já estava até com dificuldade pra levantar da cama de manhã. A sensação que eu tinha era a de estar eternamente à beira de um desmaio. Era realmente como se estivesse desligando, como se fosse ficar sem combustível.

Aos poucos fui me sentindo bem melhor. Mas ainda comia bastante errado. Nesse ínterim descobri ser intolerante a glúten, e passei a comer muito pão de queijo e cookies sem glúten, achando que assim estaria fazendo um bem pra minha alimentação, já que estava evitando o que me fazia mal.

Até então estava sem fazer atividade física. Em março desse ano decidir começar a praticar pilates. Me fez muito bem.

Comecei a me incomodar com as cobranças da minha nutróloga, quando das minhas consultas mensais, a respeito do meu peso, e de que deveria mudar a minha alimentação.

Decidi, então, procurar uma nutricionista em maio.

Foi a partir daí que senti uma grande diferença na minha disposição e na minha condição.

Foi muito difícil saber que estava com 46% de gordura, e foi muito difícil ouvir que era forte candidata a ter um ataque cardíaco por conta disso, na casa dos trinta anos.

Mudei completamente a minha alimentação, e meu percentual de gordura  já está bem mais aceitável. Já mandei embora muita gordura.

Minha nutricionista começou a me incentivar a praticar musculação. A ir pra academia.

Relutei um tempo. O meu habitat natural são as livrarias e as bibliotecas. Sabia que ia me sentir um peixe fora d’água…

Mas não me dei por vencida. Minha estratégia foi a de, pela primeira vez, chamar um personal. É ele quem me faz sentir confortável na academia, é ele quem me traduz o ambiente.


Há dias em que é bastante difícil levantar da cama pra ir treinar. Nunca curti acordar cedo, e agora levanto às 5:30 da manhã de segunda a sexta. Mas a recompensa, que é o bem estar, que é saber que estou fazendo algo muito bom por mim, faz valer muito a pena, me motiva a seguir em frente. O fato de o meu corpo responder muito rápido à musculação também ajuda. E de me ver fazendo coisas que achava que seriam impossíveis.

A parte que achei que seria a mais difícil, que era a da alimentação, acabou se revelando tranquila. É claro, demanda bastante planejamento, envolvimento e preparação. Mas saber que estou comendo de forma bem saudável é o meu pagamento. Compensa bem os doces que deixei de comer.


Mais um detalhe: antes de começar a treinar a sério, fui procurar um médico do esporte, que também é ortopedista. Tenho escoliose congênita, e uma série de coisinhas em decorrência disso. Assim, fiz uma bateria de exames antes de começar, e ainda tive que complementá-los nesse final de semana. 

Por que estou falando sobre tudo isso?

Primeiro, porque estou imensamente feliz com toda essa mudança de vida.

Segundo, porque se eu estou fazendo isso, de comer corretamente e colocar atividade física na minha vida diária, qualquer “pessoa média” pode fazê-lo. Tenho disfunções metabólicas, intolerância a glúten, problemas de coluna, quadril, ombro, joelho e pé, e amava comer doces. Se eu faço, qualquer pessoa média pode fazer. Quero que esse relato sirva de estímulo e encorajamento pra quem esteja na mesma condição.

O que posso dar de dicas?

1. Se sentir que não vai conseguir sozinho(a), procure um profissional pra te ajudar. Não saberia dos meus problemas com vitaminas se não tivesse ido a uma nutróloga, não estaria comendo corretamente se não tivesse ido a uma nutricionista, não estaria na academia sem o meu personal.
2. Não basta procurar um profissional, tem que ser alguém que tenha a ver contigo, com quem se tenha empatia.

3. Antes de começar uma atividade física, procure um médico do esporte. Principalmente se estiver totalmente sedentário(a) e já tiver um histórico de alguns probleminhas.

Ainda não cheguei onde quero; porém, a própria jornada pra chegar lá está sendo muito prazerosa. E se esse texto puder ajudar alguém que esteja na mesma situação em que já estive, terá cumprido seu propósito.

Sobrancelhas Design

As sobrancelhas são super importantes na composição do rosto, porque acabam sendo uma moldura, né.

Durante muito tempo fiz as minhas com a Iza, em Caxias (do Sul), que é bem famosa nessa área. Mas como eu acabei espaçando muito as minhas idas, comecei a catar alguém em Porto Alegre, e é justamente pela importância da sobrancelha na composição do rosto que escolher um profissional é delicado.

Além disso, hoje há uma série de técnicas, e entender e decidir entre elas acaba não sendo fácil. É microblading, é micropigmentação, é pigmentação em 3D…

A minha maior fonte de pesquisa acaba sendo o Instagram. Foi pelo insta que achei a minha nutri, o meu personal, algumas lojas e marcas de roupas e calçados que eu gosto… Acho o perfil e fico acompanhando, até me decidir, de acordo com o que vai sendo postado.

E foi assim que achei a Sobrancelhas Design, e fiquei acompanhando durante meses. Pobre da minha irmã, o quanto falei com ela sobre isso…


O que me fez optar por essa empresa: a técnica é própria, é feito o design de acordo com o teu rosto, tem um kit individual para o atendimento e tem um app pra marcar o teu horário – sou fã de coisas práticas, não tenho tempo nem lembro de ficar ligando pra marcar.


Outro detalhe bacana: como é uma rede, tem por tudo. Então mesmo em viagem dá pra estar com a sobrancelha em dia.

Bom, então como funciona: o kit individual tem todos os produtos necessários para o atendimento. Uma escovinha – que tu leva pra casa -, discos de algodão, pinça esterilizada e a tinta.


É feita uma limpeza no local, e uma profissional marca o desenho da sobrancelha de acordo com a simetria do teu rosto. Daí é feita a limpeza dos pelos que excedem o contorno do desenho, com pinça e tesoura.

Dependendo de como é a sobrancelha – sem falhas, por exemplo -, o serviço pode parar aí. Mas até pra ficar mais bonito, a fase seguinte é a de fazer um novo contorno e preencher o desenho com a tinta, que pigmenta e hidrata os fios.

O legal dessa tinta é que ela se adapta à cor da sobrancelha da cliente. É usada a mesma tinta em loiras, morenas, ruivas… E o resultado fica sempre natural.

Se a pessoa quer um resultado mais suave, deixa-se a tinta por menos tempo. Deixando mais tempo, fica mais marcada a sobrancelha.

Tira a tinta e as sobrancelhas estão prontas. 

A profissional ainda passa o lápis 4 em 1 – falarei mais dele abaixo – embaixo da sobrancelha, pra dar aquela iluminada.

Curti muito o resultado (confere o antes e o depois aí).


Além do serviço de design de sobrancelha também são oferecidos depilação do rosto e do buço, feitas com fio.

Como se não bastasse, tem toda uma linha de produtos e de maquiagem.

Pra quem gosta de maquiagem – eeeeeeuuuu -, é enlouquecedor. Dd cream, pó, blush, vários tipos de batom, delineador, sombras, rímel… E a parte de tratamento, com sérum pra estimular o crescimento dos fios e dos cílios.

Os produtos que achei mais interessantes nessa primeira visita:






Essas sombras iluminadoras são maravilhosas:


São produtos de alta qualidade, feitos na Alemanha.

O custo do design de sobrancelhas é R$ 50,00. E aí tem os combos. No com 3 cada serviço sai por R$ 40,00.

E tem também o cartão fidelidade, que dá direito a um design grátis se a cliente fechar um número xis de serviços até uma determinada data.

Em Porto Alegre é na João Wallig, próximo ao Bourbon Country e ao Iguatemi. Tem estacionamento. Marquei meu primeiro atendimento pelo app, e foi tudo super tranquilo. 

Tem que repetir a cada 20 dias.

Salgados fit da Prolight

Minha dica de hoje é de um lanche bem saudável: os salgados fit da Prolight.

Experimentei a coxinha funcional, de batata doce e frango; e a crepioca de carne de panela, de fécula de mandioca.



Primeiro que tudo é uma delícia. Segundo, muito fácil de preparar: toca congelado mesmo num prato, dois minutos e meio no micro e está pronto.

Comprei direto no site da marca, combinei com o pessoal o dia e horário de entrega e na hora combinada meus produtos chegaram.

Não tem só essas opções de salgado; e tem inúmeros outros pratos, inclusive de refeição principal.

A coxinha custa R$7,90 e a crepioca R$9,90.

O site é esse aqui.

Soutien Oculto, Scala

Não consigo nem usar roupa sem sutiã nem com o sutiã aparecendo.

E toda mulher acaba tendo alguma roupa no armário que ou acaba acontecendo uma coisa ou outra, ou tem que usar sem sutiã ou ele fica aparecendo.

Achei uma baita solução na Scala: o soutien oculto.

  
Ele não tem fechamento nas costas, e a parte interna é de silicone, que funciona como uma cola super potente.

Levei meses pra testar o meu, porque realmente tu tem que testar, né, se o negócio funciona; mas funciona mesmo. Fica no lugar o dia todo.

No site da Scala as clientes deixaram vários elogios.

Na loja me disseram que dá pra usar em torno de 90 vezes até que ele perca a cola. Não sei, não usei tudo isso ainda. As gurias da loja onde comprei usam diariamente.

Tem uns segredinhos, a pele precisa estar bem limpa e seca, e sem produtos como cremes ou perfumes. Para garantir aderência perfeita.

Atualmente está custando em torno de R$119,00, e dá pra comprar on line.

Guarda-roupa inteligente

Já falei que admiro o trabalho das gurias do Oficina de Estilo nesse post.

Estava aguardando o lançamento do mais recente livro delas, em formato e-book.

  
 Acabei de baixá-lo; portanto, ainda não o li.
Porém, vou dar um gostinho pelos títulos de capítulos, subcapítulos e algumas seções.

O e-book começa tratando daquilo que atrapalha a construção de um guarda-roupa inteligente, como um armário super lotado, ou repleto de roupas que não refletem mais o estilo de vida, ou que não servem mais. É o que fazer pra alcançar esse guarda-roupa inteligente.

   

  
   
  
 
 
  
Elas não se furtam nem de enfrentar a temida roupa de ficar em casa, rsrs…

 
 

Identificados os problemas e como fazer pra ter um bom guarda-roupa, é hora de entender como revitalizá-lo.  
  

  

E então vem a hora de analisar como organizar o guarda-roupa.

   
  

E uma parte que já antecipei que vou gostar, nessa vida corrida que a gente leva: o tal tempo pra se arrumar.

   

Algo muito bacana é que as gurias estão sempre tentando despertar o lado da reflexão das leitoras e clientes para o consumo consciente. O livro é permeado disso. E também está muito presente no Instagram e no blog.

  
  
 Quem tiver interesse, está disponível pra compra pelo site da Oficina de Estilo por R$29,00.

 

UPDATE: li o livro. É uma leitura fluida, fácil, gostosa. Despertou bastante reflexão. Quero reler com calma e fazer os exercícios propostos. Super vale a pena.
 

 

Meu primeiro peeling de diamante 

Ontem fiz meu primeiro peeling de diamante, seguido de limpeza de pele.

A esteticista começa passando um leite de limpeza, pra tirar resquícios de sujeira.

E então já parte para o peeling; que é feito com uma espécie de cânula terminando na ponteira de diamante.

  
A sensação é de uma lixa, parecida com uma língua de gato – quem tem ou já teve gato vai me entender.

O objetivo é fazer uma microdermoabrasão, retirando as células mortas da camada superficial da pele.

Diz que suaviza a pele, deixando-a mais sedosa. E também minimiza manchas (melanoses) e linhas finas. E diminui os poros.

O que me motivou foi justamente minimizar uma mancha, o que realmente aconteceu. Fiquei muito impressionada.

A sensação é um pouco incômoda. Mas nada que se compare com a limpeza de pele. Eu cuido muito da pele em casa, mas fazia tempo que não me sujeitava a uma limpeza de pele profissional.

Terminado o peeling a esteticista passa uma loção adstringente. E em seguida cobre a pele do rosto com faixas de gaze umedecidas; então coloca uma máquina de vapor por todo o teu rosto. Essa é a parte da emoliência, pra abrir os poros e amolecer a sujeira e os cravos, etc.

Essa pra mim é uma das piores partes, porque detesto aquele ar quente no nariz e na boca, impedindo de respirar direito. Dez minutos de tensão.

E então vem a parte da extração da sujeira, com apetrechos específicos. O que também é bem doloroso. 

Depois de tanta tensão e dor, vem a parte de fazer uma máscara pra acalmar a pele. E finalmente o filtro solar.

O processo todo leva em torno de uma hora e dez minutos.

Mesmo sendo um procedimento não de todo confortável, minha intenção é a de manter a prática de fazer o peeling e a limpeza uma vez por mês. Porque, como se diz, tem que sofrer pra ficar bonita, kkk. A sensação de estar com os poros limpinhos, olhar no espelho e vê-los limpinhos, compensa tudo. Sem falar na tal da mancha, que quase sumiu.

Só precisava encontrar um lugar em que me sentisse à vontade.

Fiz na Bioslick, a estética do Viva Open Mall; que sempre tem promoções e dá 20% de desconto para quem tem Clube do Assinante da Zero Hora.